segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Peter Murphy em São Paulo na noite mais gótica do ano

Peter Murphy em São Paulo 2014 / Foto: The Ultimate Music PR


O músico é um dos maiores expoentes do gênero que teve seu auge nos anos 80.

A noite ainda estava em seu começo, mas Wayne Hussey já havia passado pelo palco do Carioca Club e brindado o público com uma bela apresentação.


Eram 19:50 e a galera não parava de chegar. Todos estavam atentos para o início da apresentação do líder do lendário Bauhaus e, pouco depois das 20:00, o introdução de Hang Up começou a tocar. Os músicos tomaram seus postos e executaram a canção que abre Lion, o novo disco de Peter lançado neste ano.

Infelizmente, um problema em seu microfone praticamente não permitiu que o público ouvisse sua voz. Mesmo assim, a banda foi aplaudida ao final da execução e algo curioso foi vê-lo fazendo sinais em direção à mesa de som, provavelmente informando quais efeitos deveriam ser usados na voz.

Low Room veio em seguida com seu arranjo psicodélico e cheio de groove. A voz foi parcialmente corrigida ajudou um pouco e, ao seu término, Peter agradeceu a plateia com um “obrigado!”.

Logo após, mais uma canção do novo disco. A dançante Low Tar Stars trouxe o technopop que fez com que algumas pessoas da pista e dos camarotes dançassem. O problema da voz continuava. Perto de seu final o baixista trocou seu instrumento por um violino, mostrando versatilidade e habilidade. Isso agradou o público rendendo aplausos ao final da canção.

Memory Go veio em seguida com sua pegada crua e dançante, além do refrão que gruda na cabeça. Sucedida por Peace To Each, com seu arranjo pesado e o vocal agressivo de Peter, as músicas foram uma dobradinha do álbum Ninth, lançado em 2011.

Deep Ocean, Vast Sea veio em seguida, revisitando o álbum Deep de 1990. Com seu arranjo típico do gótico famoso nos anos 80, a canção trouxe nostalgia à apresentação. O baterista demonstrou bastante técnica invertendo as mãos que tocavam o chimbau e a caixa de seu instrumento. Ao seu final, aplausos.

Em Gaslit todos foram brindados com a resolução do problema na voz. Isso melhorou mais ainda a apresentação, pois a banda demonstrou competência desde o início. Tanto que nesta música, o baixista trocou seu instrumento pelo violino, o qual tocou com propriedade, o que rendeu muitos aplausos antes mesmo da música acabar. Após o término, Peter agradeceu em inglês.

Em seguida tivemos uma dobradinha do álbum Lion. As potentes Eliza e Holy Clown foram executadas, dando mais gás à apresentação.

Chegou o momento de Strange Kind Of Love apresentar toda sua delicadeza e densidade. A voz de Peter com seus graves sempre impecáveis, aliada ao violão tocado pelo músico, juntamente com efeitos na guitarra e o violino brilhantemente tocado mostraram a qualidade dos músicos e enriqueceram o show. Como não poderia ter sido diferente, uma série de aplausos veio após seu fim.

Silent Hedges levou o público ao delírio. As palmas acompanharam o bumbo da bateria, junto com pulos na pista. A forte linha de baixo é sua principal característica. E para a alegria dos fãs, a banda emendou She’s In Parties, onde Peter tocou sua escaleta levando o público ao delírio. Uma bela sessão rítmica, onde Peter se apossou de duas baquetas e deu as caras na percussão, finalizou a canção. Logo em seguida iniciaram a execução de Velocity Bird, que possui um arranjo bem pop e moderno.

The Prince & Old Lady Shade anunciou o término da primeira parte da apresentação. No meio da música, Peter jogou um punhado de pétalas de rosa no palco e perto do fim da canção agradeceu ao público em português e se retirou do palco. A banda finalizou a execução e jogaram palhetas e baquetas para a plateia.
Após a plateia clamar a volta da banda, gritando o nome de Peter e batendo palmas, houve o retorno para o encore final.

A clássica e emocionante Cuts You Up foi a primeira canção a ser executada, tendo sido cantada pelo público, que ovacionou a banda após seu término.

Lion, composição que intitula o álbum de trabalho atual de Peter Murphy, veio em seguida e trouxe consigo a constatação de que o show estava perto de seu fim.

Assim que Uneven & Brittle foi iniciada, o músico disse que eles gostariam de dizer adeus com a canção, acenou para o público e agradeceu. A música fechou o espetáculo e, perto de seu fim, Peter apresentou os músicos que o acompanharam e agradeceu ao público com um “obrigado!”.

O que pode ser observado nesta apresentação foi que mesmo com Peter parecendo estar chateado com algo e com os problemas técnicos do início, não faltou vontade para os músicos. Cumpriram seu papel com competência dando ao público presente um bom show.

FICHA TÉCNICA

Data: 13 de Setembro de 2014
Realização: 8X8 Live
Local: Carioca Club, São Paulo/SP

Set List
Hang Up
Low Room
Low Tar Stars
Memory Go
Peace To Each
Deep Ocean, Vast Sea
Gaslit
Eliza
Holy Clown
Strange Kind Of Love
Silent Hedges
She’s In Parties
Velocity Bird
The Prince & Old Lady Shade
Cuts You Up
Lion
Uneven & Brittle

Cartaz / Imagem: Divulgação