segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Rush Festival Brasil: Fazendo jus ao legado do power trio canadense



Por Luana Mauren

Na noite de sábado do dia 22 de novembro de 2014, os fãs fiéis e acostumados com as particularidades e riquezas musicais de um trio regado de princípios e personalidade, presenciaram a primeira edição do Rush Festival Brasil 2014, no Lord’s Rock Bar, em São Caetano do Sul/SP


O projeto foi idealizado por Daniela Paparasso e contou com  a participação especial realizada por vídeo de Dona Halper (a radialista que tocou as músicas da banda pela primeira vez em solo americano) e da banda Lotus Land (cover americano do trio canadense). Além disso, ocorreram as apresentações das bandas Stage Left Rush Tribute, Cygnus Rush Tribute, Chorus e Golden Rush exatamente nessa ordem sem alterar o valor individual de cada banda que fizeram jus às singularidades do Rush.



Às 22:40 a casa abriu suas portas para acolher a plateia que pode presenciar e sentir as melodias criadas pelo Rush e perfeitamente interpretadas pelas quatro bandas que se apresentarão.

Stage Left Tribute / Foto: Luana Mauren

Por volta das 23:30 a banda Stage Left subiu ao palco com a missão de abrir o festival. Apresentando Subdivisions do álbum Signals de 1982, em sequência The Big Money (do álbum Power Windows de 1985) e outros clássicos executados com vigor e precisão, permanecendo por quase uma hora agitando e conquistando o público.




Por volta da 01:40 da animada madrugada a banda Cygnus sobe no mesmo palco que a Stage Left tocou. 

Cygnus Rush Tribute / Foto: Luana Mauren

Com muita exatidão em sua apresentação e carregando a proposta de fornecer sincronia entre a harmonia musical e o público ali presente, a banda apresentou obras como Limelight (do disco Moving Pictures de 1981) e Red Sector A (do álbum Grace Under Pressure de 1984). Com músicos visivelmente dedicados, esbanjando precisão em sua apresentação, o tributo partiu para seu ‘Grand Finale’ executando a suíte 2112, do disco homônimo de 1976.




Com o festival na metade, para não esfriar o sangue, às 02:30 da madrugada a banda Chorus iniciou sua performance no segundo palco da casa. 

Banda Chorus / Foto: Luana Mauren
Não tão grande quanto o outro, mas não menos importante. A troca deixou o público mais próximo da banda, proporcionando uma grande conexão entre sentimentos e melodias. A banda Chorus com uma proposta mais "lado B" e com canções mais recentes, executou, entre outras, Animate (do disco Counterparts de 1993), The Anarchist (do último registro de inéditas chamado Clockwork Angels de 2012) e Natural Science (do álbum Permanent Waves de 1980), cativando o público e ganhando notoriedade dentre os presentes.




E a última grande banda a se apresentar, realizando o desfecho dessa grande festa que foi o evento, foi a Golden Rush.

Golden Rush / Foto: Luana Mauren
Era por volta das 03:50 da matina quando eles subiram ao palco principal da casa, proporcionando momentos muito agradáveis, com faixas muito bem apresentadas, deixando claro a enorme harmonia e sincronia dos integrantes. Freewill (do albúm Permanent Waves de 1980) foi executada com perfeição, tanto na parte instrumental, quanto na voz, extremamente dedicada aos agudos de Geddy Lee. 




The Pass (do álbum Presto de 1989 e uma das canções preferidas do próprio trio) foi apresentada com a beleza e perfeição que lhe são dignas. O fechamento se deu com The Spirit Of Radio (do álbum Permanent Waves de 1980), deixando o público satisfeito com a grande noite regada por esse grande tributo ao Rush!

O legado de Alex Lifeson, Geddy Lee e Neil Peart foi respeitado e apreciado com seriedade e, principalmente, com o coração. Os fãs brasileiros mostraram mais uma vez sua paixão pelo trabalho da banda e fizeram, junto com os músicos e a organização, mais uma noite mágica no ano em que os "garotos" canadenses completam 40 anos de estrada.

FICHA TÉCNICA

Data: 22 de Novembro de 2014
Realização: Daniela Paparasso
Local: Lord's Rock Bar, São Caetano do Sul/SP

Dossiê do Rock: Revelando o passado. Incentivando o futuro.